A Escolhida por Amanda Ágatha Costa

Hoje vim compartilhar com vocês minha opinião sobre o livro A Escolhida, da autora Amanda Ágatha Costa. Amanda é uma autora brasileira e trouxe um livro com uma proposta diferente do que eu estava acostumada a ver em autores brasileiros. O livro envolve fantasia, que com exceção de Harry Potter, não é um dos meus gêneros favoritos de se ler. Porém, A Escolhida foi uma surpresa agradável, apesar de ter alguns pontos que considero negativos do meu ponto de vista, o livro é bom e senti muito orgulho em ler uma obra brasileira nesse nível.

Vamos ao resumo:

“Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota perdida na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais. Através de sua aparência impecável e feições delicadas, ninguém conseguiria supor quem ela é e o que gosta de fazer: um anjo com sede de sangue, sempre disposta a ceifar novas vítimas. Porém, tudo muda quando é capturada por dois feiticeiros e levada para o círculo, lugar onde eles vivem sob a liderança de Egran, um homem cruel que não mede esforços para conseguir o que quer. Em meio a várias mudanças repentinas, terá de enfrentar suas convicções a fim de descobrir um lado de si mesma que não imaginava existir. Será que o amor vai fazer brotar a alegria em seu coração? Ou ele irá arrastá-la diretamente para a morte? Ari será capaz de finalmente superar o próprio passado sombrio ou sucumbirá a ele, deixando pelo caminho mais um grande rastro de destruição?

Minha opinião sobre A Escolhida:

No livro conhecemos Ari, ou Ariali como algumas pessoas do Círculo a chamam. Ari é uma criatura nada convencional. Ela é um anjo, possui uma aparência linda e delicada, porém ela não é nada disso internamente. Ari é uma assassina e mata para se alimentar. Os humanos não conseguem ver suas asas, porém outras criaturas conseguem. De tanto matar, as asas de Ari estão caindo aos poucos.

Numa caçada, Ari acaba trombando com Luke e Edlun, que são feiticeiros do qual ela nem sequer sabia da existência. Os dois insistem em levá-la para o chamado Círculo que é onde vivem com outros feiticeiros. O líder do círculo, Egran a quer por perto para que ele consiga prosseguir com seus planos nada benevolentes. Egran não é uma pessoa agradável e dirige o círculo na base do medo.

Ari não aceita ajudar Egran em seus planos, dos quais ele nem sequer revela à ela. Mas mediante a promessa que ele contará sobre seu passado, que ela nada sabe, Ari acaba cedendo.

Cada feiticeiro do Círculo tem um dom e o dom de Luke, o garoto que a levou para o Círculo, é ver o passado das pessoas. Quando ele toca em Ari, acaba vendo seu passado que ainda é segredo para ela e acaba contando a garota sobre o que viu, a revelação a deixa assustada e com medo.

Logo Ari e Luke começam a desenvolver sentimentos um pelo outro, porém, o relacionamento deles é proibido, uma vez que criaturas de espécies diferentes não podem se relacionar. Ari também acaba fazendo amizade com Vincy, irmã de Luke, da qual ela odeia assim que chega no Círculo, mas logo as suas se entendem, além de Vincy, Ari faz amizade com as outras três amigas de Vincy. A garota que sozinha basicamente toda a sua vida, estranha a recepção e o carinho por parte das meninas e o amor de Luke.

Bom, confesso que não gostei da Ari no início. A situação dela era complicada, cresceu sozinha, sem amigos, sem entender quem era ela. Mas ela era muito, muito chata na minha opinião. Sabe aquelas pessoas que não aceitam ouvir as outras, que acha que está sempre com a razão e fica batendo o pé como uma criança/adolescente mimada? Foi a visão que tive dela no começo do livro. Tudo bem que ela estava confusa ao ser levada obrigatoriamente à um meio até então desconhecido para ela, mas né, vamos com calma garota. Mas para a nossa (minha) alegria, ela melhora no decorrer da história.

Outro coisa é que achei o livro um pouco enrolado demais, você chega até a página 100 e basicamente nada de “wowww” tinha acontecido. Muitos diálogos entre Ari e Luke, enquanto Ari tenta entender o que está sentindo e você fica “tá e agora, o que mais vai acontecer?”.

Tirando esses dois pontos, a autora consegue prender nossa atenção e aos poucos você começa a acompanhar o ritmo da história, conforme vai vendo uma incógnita aqui, outra ali e assim vai. Além da história, acompanhamos a evolução de Ari e como ela acaba conhecendo outro lado dela, o lado que não é totalmente impiedoso.

Para concluir, acho que vale muito a pena ler. Ainda mais por ser uma obra brasileira e completamente diferente, pelo menos para mim.

E aí, já tinha ouvido falar do livro A Escolhida? Gosta de livros de fantasia? Deixem nos comentários!

Minhas compras literárias para Janeiro

Hoje vou falar das minhas compras literárias feitas recentemente. No final de Dezembro estava eu a toa andando pelo shopping, quando vi uma livraria. Eu podia ter facilmente apenas passado em frente, mas cometi o grande erro de entrar. E eu nunca consigo sair de mão vazia de uma livraria. Quem aí consegue?

Para minha felicidade (ou não) tinha alguns livros em promoção, por apenas R$9,90. Senti os olhos brilharem. Mas os títulos não me impressionaram muito, então acabei pegando apenas um livro da promoção, o Ameaça Mortal de James Patterson. Confesso que não gosto muito de livros que envolvam polícia e política, mas resolvi das uma chance.

Minha segunda parada foi no estande da Darkside, daí complicou as coisas. Os livros são lindíssimos e no estilo que eu gosto, que é mais suspense e tals. E infelizmente os livros da Darkside não são tão baratos, mas eles são super bem feitos e realmente valem a pena. Acabei pegando apenas um, o Onde Cantam os Pássaros, pois estava em média R$50,00 reais os livros.

Embora eu tenha comprado no final de Dezembro ainda não terminei os livros. Como sou ansiosa, comecei a ler os dois ao mesmo tempo, consequentemente não terminei nenhum dos dois, mas farei resenha assim que terminar.

Confiram abaixo o resumo das minhas compras literárias:

Ameaça Mortal – James Patterson

“Os filhos do presidente dos Estados Unidos estudam no Branaff, um dos melhores colégios de Washington, e contam com proteção em tempo integral. Ainda assim, num ato de ousadia, criminosos enganam os agentes do Serviço Secreto e desaparecem com Ethan e Zoe Coyle.

Sem aceitar a participação da Polícia Metropolitana no caso, o FBI e o Serviço Secreto assumem as investigações. No entanto, atendendo a um pedido especial da primeira-dama, acabam convidando o detetive Alex Cross por sua experiência com sequestros.

Em meio às investigações, a Inteligência americana descobre que um grupo terrorista saudita está planejando vários ataques em território nacional. A sabotagem da rede de fornecimento de água e o atentado contra a comitiva do secretário de Estado põem a capital em alerta, além de levantar a suspeita de que esses atos possam ter ligação com o sequestro de Ethan e Zoe.

Trabalhando em conjunto com o FBI, a CIA e outras agências do governo, Alex Cross precisa agir rápido. Com a ajuda dos colegas Ned Mahoney e John Sampson, ele começa uma corrida contra o tempo para encontrar os filhos do presidente e impedir que novos atentados coloquem o país em risco.”

Fonte: Saraiva

Onde Cantam os Pássaros – Evie Wyld

“No premiado romance de Evie Wyld, a fazendeira Jake White leva uma vida simples numa ilha inglesa. Suas únicas companhias são rochedos, a chuva incessante, suas ovelhas e um cachorro, que atende pelo nome de Cão. Tendo escolhido a solidão por vontade própria, Jake precisa lidar com acontecimentos recentes que põem em dúvida o quanto ela realmente está sozinha – e o quanto estará segura. De tempos em tempos, uma de suas ovelhas aparece morta, o que pode ser muito bem obra das raposas que habitam a floresta próxima à sua fazenda. Ou de algo pior. Um menino perdido, um homem estranho, rumores sobre uma fera e fantasmas do seu próprio passado atormentam a vida de uma mulher que sonha com a redenção.
Aos poucos, vamos descobrindo mais sobre as suas habilidades em tosquiar e cuidar de ovelhas, aprendidas ainda quando jovem, em sua terra natal, na Austrália. E vamos aprendendo também o que aconteceu lá, que acabou por conduzir White à uma vida de reclusão e isolamento. E sobre as contradições e diferenças entre um passado (sempre narrado no tempo verbal presente) cheio de vida e calor, e o presente (narrado por sua vez no passado) repleto de lama, frio e um ritmo mais desacelerado, paira uma atmosfera absolutamente brutal.
Com uma prosa verdadeiramente excepcional, o estilo da autora reúne tanto clareza como substância e apresenta uma personagem inesquecível, enigmática, trágica, assombrada por um passado inescapável. Uma mulher forte, ainda que tão passível de falhas, erros e equívocos como todos nós. É uma história de solidão e sobrevivência, culpa, perda e o poder do perdão. Uma escrita visceral onde sentimos a presença de tudo, os odores, o vento, o tempo. Nada passa desapercebido.”
Fonte: Saraiva

E aí, o que acharam dessas compras literárias? Já leram algum dos dois ou alguma outra obra dos autores? Deixem nos comentários!

Ps: Não se esqueçam de curtir a página do blog aqui e seguir no instagram se você ama fotos tanto quanto eu!