A lição que o livro Pollyanna nos ensina

Acredito que a maioria das pessoas conhece o livro Pollyanna de Eleanor H. Porter. Um clássico da literatura infantil-juvenil, Pollyanna deve ser lido pelo menos uma vez na vida. A primeira vez que li a obra, ainda estava no ensino fundamental e confesso que não gostei nem um pouco do livro. Isso porque na época, eu não entendi a mensagem que o livro passava. Hoje, após ter lido novamente o livro há algumas semanas, compartilho com vocês, a lição que o livro Pollyanna nos ensina. Antes de me aprofundar nesse tópico, deixe-me explicar do que se trata a história.

No livro, acompanhamos Pollyanna. Uma garota de 11 anos que vive apenas com seu pai, um pastor. Porém, a garota perde o pai, ficando órfã e é enviada para viver com sua tia Polly num pequeno povoado inglês. Tia Polly é uma senhora amarga, que recebe a menina apenas como um dever. Logo a menina começa a contagiar os moradores com o jogo do contente, que ela aprendeu com seu pai, no qual consiste em ver o lado bom das coisas.

Após ter lido o livro novamente, com uma visão e experiência de vida diferente, consigo ver o quanto a leitura de Pollyanna é importante para qualquer idade. As vezes só enxergamos o lado ruim de qualquer coisa e consequentemente atraímos mais coisas negativas na nossa vida. E acaba que nunca estamos satisfeitos.

É como ganhar um bolo de chocolate e querer um bolo de cenoura e não ficar satisfeita com o presente. No livro, aprendemos que sempre há um lado bom para qualquer acontecimento nas nossas vidas. Esse é um exemplo simples para entendermos como funciona o jogo. No livro, Pollyanna diria que deveríamos ficar contente em ter ganhado o bolo de chocolate e não o de cenoura, caso contrário nunca saberíamos o quão gostoso é um bolo de chocolate.

Podemos levar essa lição para a nossa vida, por exemplo, um funcionário que não recebe um aumento pelo qual estava esperando. Ele pode ficar contente, pois mesmo não recebendo o aumento, ele ainda tem um emprego e não foi demitido. Assim, consequentemente acabaremos em ver o lado bom de tudo, naturalmente.

E aí, o que acharam sobre a lição que o livro Pollyanna nos ensina? Já leram o livro? Deixem nos comentários!

2 filmes que nos passam uma lição de vida

Nada nos dá mais satisfação que filmes que além de servir de distração, nos trazem uma lição. Hoje comento sobre 2 filmes que nos passam uma lição de vida, mas se pararmos para observar, vamos ver que tem uma infinidade de produções que nos ensinam algo, seja na nossa vida pessoal ou profissional. Eu amo assistir filmes que nos fazem refletir, inspirar-se e motivar-se. Foi por isso que decidi falar sobre dois filmes que assisti e que consegui tirar algo de bom das produções.

1 – A Procura da Felicidade

Sei que parece super clichê, mas esse é um dos meus filmes favoritos. Podemos acompanhar Chris Gardner (Will Smith) ir parar no fundo do poço e ainda assim não desistir. Ele é despejado do seu apartamento, sua esposa, cansada da situação, o abandona e o deixa para criar o filho sozinho. Chis e seu filho, sem dinheiro algum, são obrigados a viver em abrigos. Mas Chris está determinado a conseguir uma vida melhor. Para isso ele se esforça muito, chegando a fazer um estágio sem remuneração, em busca de ser contratado pela empresa.

Podemos identificar em Chris a persistência e a força de vontade. E quantas vezes já não pensamos em desistir de tudo quando a situação fica um pouco mais difícil, não é mesmo? Mas aquela gotinha de força de vontade dentro de nós, nos faz seguir em frente.

Lição Aprendida:

Nunca deixe ninguém lhe dizer que você não é capaz de fazer algo.

2 – Orgulho e Preconceito

Meu filme favorito de toda a vida. Pode parecer apenas um romance, mas existe algumas mensagens por detrás, vou comentar de uma. Elisabeth Bennet (Keira Knightly) é uma entre 5 irmãs, vivendo no século 19, onde o sexo feminino vivia basicamente em função do sexo masculino. Na época, as mulheres não tinham direito à herança. E assim que o pai das meninas morressem, toda a herança da família ia para o membro masculino mais próximo da família. O que faria com que as meninas fossem deixadas sem dinheiro e sem casa.

Isso explica o desespero até meio irritante da mãe de Elisabeth ao tentar fazer com que todas as suas filhas se casem com homens ricos. Num dos bailes que acontece na história, Elisabeth cruza seu caminho com Mr.Darcy. Elisabeth logo mostra seu desprezo por ele, ao imaginar que ele é um homem arrogante e sem tato, considerando que é um dos homens mais ricos do baile. Conforme a história corre, descobrimos que Mr. Darcy na verdade é um bom homem, que acaba, inclusive, ajudando a família de Elisabeth.

Lição Aprendida:

Não julgue o livro pela capa.

E aí, o que acharam desses 2 filmes que nos passam uma lição de vida? Quais outros filmes que vocês assistiram que passou uma boa mensagem? Deixem nos comentários!

Resenha Base Studio Fix Fluid da MAC

Já faz uns dois anos que uso a Base Studio Fix Fluid da MAC e até hoje não achei outra base que eu goste tanto. A MAC nos fala que a Studio Fix é uma base de cobertura média, com acabamento matte e com proteção solar de FPS 15.

Comprei a minha na Sephora pelo valor de R$125,00. Já é o segundo vidro que eu compro e acredito que vale o investimento. Abaixo separo em prós e contras sobre a base Studio Fix Fluid da MAC.

Prós:

  • É fácil de espalhar e não craquela
  • Boa cobertura
  • Deixa a pela com a sensação de aveludada
  • Não é grudenta
  • Aguenta umas 4 horas de boa

Contras:

  • Transfere um pouco
  • Não tem pump no vidro (a não ser que você compre separado)

Como vocês podem ver, consegui ver mais prós do que contras ao testar a base. Quanto a oleosidade, achei que aguentou bem, mesmo em temperaturas mais quentes. E apesar de ter boa cobertura, não fica com aquele aspecto de reboque. Fora que ela deixa o rosto bem sequinho, mas sem ser super matte, o que gosto bastante, caso contrário, poderia craquelar. Sou branca e uso a cor NC15.

E aí, vocês já usaram a base Studio Fix Fluid da MAC? Qual outra base com boa cobertura vocês indicam? Deixem nos comentários!

Resenha – O casal que mora ao lado – Shari Lapena

A coisa mais gostosa que tem é circular pela livraria procurando por livros que te fazem querer sentar ali mesmo e começar a ler. Foi assim quando peguei o livro O Casal que mora ao lado, na Saraiva. Li a sinopse e me cativou completamente. E devo dizer que a sinopse fez jus a história, pois foi uma das melhores obras que já li.

Sinopse:

“É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa; afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando.

Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta; Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.”

O que eu achei:

A história de O Casal que mora ao lado é bem envolvente. Começamos com Marco e Anne indo jantar na casa dos vizinhos e deixando a filha bebê de 6 meses em casa sozinha. O casal fica olhando (ou melhor, ouvindo) a filha por um monitor de bebê que está sem imagem e eles conseguem só ouvir o som. E eles ainda concordam entre si de ir dar uma olhada na filha de 30 em 30 minutos.

Quem deixaria a filha bebê sozinha não é mesmo? Mas deixando isso de lado, parece que o plano está dando certo. Eles passam a noite checkando a filha e quando vão embora, por volta da 1 da manhã, a menina tinha desaparecido. O mundo parece desabar para o casal, principalmente para Anne, que sofre de depressão pós parto. Conforme a polícia chega e começa a fazer perguntas, parece que não é um simples sequestro. Aos poucos, segredos vão sendo revelados e para nossa sorte logo na metade do livro já descobrimos muita coisa, inclusive quem levou a menina.

Enfim, é um bom livro que aguça a nossa curiosidade e nos faz querer continuar lendo para saber como vai ser o desfecho. Se você está a procura de um bom livro de mistério e policial, vale a pena conferir esse.

E aí, o que acharam da resenha de O casal que mora ao lado? Já conheciam? Deixem nos comentários!

Nunca olhe para dentro por Amanda Ágatha Costa

Hoje contamos com post extra na semana para compartilhar uma obra bem bacana da autora Amanda Ágatha Costa com o título de Nunca olhe para dentro. A moça já publicou o livro A Escolhida, que inclusive tem resenha aqui no blog.

Mas como o talento dela não é pouco, já temos a vista uma nova obra com lançamento previsto para agosto/setembro na Amazon. Para deixar um gosto de quero mais e você já incluir na sua wishlist, confira abaixo a sinopse.

“Nem sempre a vida é colorida como um quadro ou suave como uma pincelada, às vezes é o contrário de tudo isso. Depois de perder os pais em um acidente de carro aos oito anos de idade, a única coisa que Betina precisa fazer é encontrar o responsável por ter destruído sua família na noite que daria início à sua próspera carreira como pintora.
Agora longe dos pinceis e das paletas, ela está focada em terminar a primeira graduação e procurar na justiça um pouco de consolo para o caos que o seu passado ainda traz.
Ao lado de seus amigos e sob o teto de uma tia que a detesta, ela perceberá de que cores as pessoas são feitas, e do quanto é realmente necessário olhar para dentro de tudo aquilo que a assombra, mesmo que para isso precise passar por uma inesperada decepção.”

Incrível não é mesmo gente? Quem mais está ansiosa para chegar logo Agosto e dar uma conferida em Nunca olhe para dentro? Deixem nos comentários!

Base Revlon Colorstay 24 Horas

Hoje vim trazer minhas impressões da base Revlon Colorstay 24 horas. Faz tempo que ela circula no mercado, mas só tive a oportunidade de comprar a base quanto estive viajando e paguei em torno de 8 dólares, foi bem baratinho. Eu estava bem curiosa para testar a base, pois tinha visto várias resenhas positivas sobre ela.

Usei a base por volta de 5 meses, então tive um bom tempo de teste com o produto. A minha cor é a 130 Porcelain. Embora ela seja a queridinha de muita gente, confesso que não gostei muito da base Revlon Colorstay 24 horas. Abaixo, vou relatar os pontos positivos e negativos que tive ao experimentar o produto.

Pontos Positivos

  • Tem pump
  • Textura mediana – o que facilita a aplicação, sem deixa a pele manchada
  • Efeito Matte – é boa para peles normais e oleosas. Porém é bom para usar somente no calor, pois no frio ela deixa a pele craquelada, deixando os poros bem expostos.
  • Efeito Aveludado – fica com uma sensação leve na pele, como se tivesse passado apenas um hidratante
  • Segura a oleosidade por umas duas horas

Pontos Negativos

  • Cobertura – Embora seja uma base de cobertura média e alta, não achei que cobriu muito bem as manchinhas. A não ser que você construa camadas e fique com o rosto rebocado.
  • Durabilidade – Não curti, duas horas depois e já estava de rosto limpo praticamente.
  • Transfere um pouco.

Algumas pessoas comparam a base Studio Fix da MAC com a base Revlon Colorstay 24 Horas, eu uso a Studio Fix e tirando a textura que achei semelhantes, não achei nada parecido. A cobertura da Studio Fix é bem mais superior, a durabilidade também.

Concluindo, a base Revlon Colorstay 24 horas pode ser encontrada por volta de R$60 reais no Brasil (quase o dobro do valor pago lá fora). Se você procura por uma base que segure a oleosidade num tempo considerável e não tenha muitas manchas no rosto, ela vale a pena. Mas se procura uma base com uma boa cobertura, talvez essa não seja a base para você.

E aí, já tinham ouvido falar da base? Qual é a opinião de vocês? Deixem nos comentários!

Livro Recados do Bem

Recados do Bem é um livro de não ficção. Está mais para uma agenda, ou, planner. O livro foi escrito por Ariane Freitas e Jéssica Grecco, que criaram o perfil Indiretas do Bem no Instagram.

No perfil encontramos textos e frases curtas que nos incentivam a ver a vida de forma positiva, além de compartilhar frases de esperança, amor próprio e motivação que nos faz refletir sobre tudo ao nosso redor.

“Este livro foi inspirado no projeto do @instadobem e traz 52 textos pensados para te ajudar a enxergar a vida de forma mais positiva. Com ele você também pode planejar, semana a semana, a prática de novas ideias e de novos olhares sobre a vida que leva. Com certeza seu ano não terminará da mesma forma que começou.”

Eu já tinha visto resenhas sobre o livro e fiquei encantada, pois curto demais textos motivacionais, inspiradores e positivos. A compilação de textos que abordam esses assuntos, foi o que me levou a comprar o livro Recados do Bem.

Além de ser um planner, Recados do Bem nos apresenta 52 textos, abordando os assuntos citados acima que podem ser divididos semanalmente. Toda semana tem um texto novo e no rodapé da página encontramos dicas de músicas que tem a ver com o assunto sendo tratado no texto.

É um livro pequeno e encantador, com uma linda capa dura e ilustrações nas páginas, o que deixa a leitura leve e dinâmica. Recados do Bem é para se ter na cabeceira da cama e ler sempre que estiver precisando de uma mensagem do bem.

E aí, vocês já tinham ouvido falar de Recados do Bem? O que acham de livros inspiradores assim? Deixem nos comentários!

Máscara de cílios Lash Sensational da Maybelline

Já experimentei máscaras de outras marcas, mas sempre acabo voltando para a Maybelline, tanto pela qualidade quanto pelo custo que é uma marca bem em conta. A novidade da vez é a máscara de cílios Lash Sensational que chegou numa versão limitada aqui no Brasil e só vende nos quiosques da marca. A minha eu comprei nos Estados Unidos por 8 dólares. Aqui está vendendo por volta de R$55 reais.

Antes de comentar sobre a minha opinião, vamos ao que a marca diz:

“A máscara Lash Sensational define seus cílios como nenhuma outra. Suas 10 camadas de cerdas alcançam até os menores cílios e o efeito leque é sensacional. Para melhores resultados, passe o pincel da raiz às pontas. Não deixe secar entre as aplicações.”

Minha opinião:

– Pelo que notei a embalagem vendida aqui é a mesma que a dos Estados Unidos. O aplicador é em forma de leque. Eu ainda não tinha usado um aplicador assim, então achei interessante.

-Em relação ao alongamento é realmente bom, com uma camada já dá para notar alguma diferença, porém conforme vai passando as camadas, os cílios vão grudando, ficando na famosa patinha de aranha. Não gostei desse efeito. Uma alternativa que estou usando para evitar ficar grudando, é aplicar a Lash Sensational com a Great Lash, também da Maybelline.

-A duração é boa e uma coisa que gostei é que não borra ou transfere para o rosto conforme o passar das horas.

-Eu comprei a versão lavável, então não tive dificuldades em retirar a máscara dos cílios. Eu uso o shampoo infantil da Jonhson.

A máscara de cílios Lash Sensational da Maybelline é boa, porém considerando o preço de R$55,00 em relação a Colossal que é em torno de R$30,00, compensa comprar a Colossal, que dá bastante volume aos cílios e não tem o problema de ficaram grudados. Em resumo, se você ama comprar máscaras para testar, se joga, caso contrário, a The Falsies e a Colossal deixam os cílios mais volumosos e bonitos.

E aí, já conheciam a máscara de cílios Lash Sensational da Maybelline? O que acham dos outros produtos da marca? Deixem nos comentários!

Protetor Solar Eucerin para peles oleosas

Comecei a usar o Protetor Solar Eucerin para peles oleosas FPS 60 por recomendação da minha dermatologista e foi um dos melhores protetores que já usei. Usei a versão de amostra grátis que por sinal vem muito produto, usei por um mês inteiro, todos os dias.

O que a marca diz:

“O Protetor Solar Eucerin Sun Creme Gel Oil Control com Toque Seco FPS60 diz que oferece alta proteção a peles oleosas e com tendência a acne. A tecnologia Oil Control regula a oleosidade e reduz o brilho, além de possuir um efeito matte que dá a pele uma sensação de toque seco.”

Minha opinião sobre o produto:

Esse foi o primeiro Protetor Solar Eucerin para peles oleosas que usei da marca, já tinha visto em farmácias antes, mas nunca tinha adquirido para testar.

Embalagem:

A embalagem é de plástico, como a minha era amostra grátis, era em forma de bisnaga, mas a embalagem comprada na farmácia possui um pump, o que facilita muito na hora de retirar o produto.

Textura:

A textura dele é em gel e é bem leve, espalhando facilmente pela pele e com rápida absorção. Logo após a aplicação já dá para sentir a pele sequinha, porém sem perder a hidratação da pele.

Cheiro:

Não deixa o rosto esbranquiçado e praticamente não possui cheiro algum, o que aprecio muito em produtos para o rosto.

Proteção:

Senti que me protegeu por horas. Aplicava de manhã e no almoço novamente, uma vez que preciso sair nesse período que o sol está bem alto e forte.

Acne e Manchas:

Também achei que controlou bem a acne, minha pele está, sem nenhuma evidência de acne e não sei se foi o conjunto com outros produtos, mas achei que minha manchinhas solares diminuíram bem, ou seja, o protetor solar está realmente ajudando a proteger a minha pele.

Para concluir, o Protetor Solar Eucerin para peles oleosas com certeza é um dos protetores que mais gostei até hoje, se você tem a pele oleosa e precisa de alta proteção, vale muito a pena conferir. Além de ser facilmente achado em farmácias num preço em torno de R$60,00.

E aí, alguém já experimentou o Protetor Solar Eucerin para peles oleosas? Qual outro protetor solar para peles oleosas vocês recomendam? Deixem nos comentários!

Onde cantam os pássaros – Evie Wyld

Comprei Onde Cantam os Pássaros pensando que ia encontrar uma história de suspense e terror, porém o enredo está mais para um drama psicológico. A capa é linda, com tons de rosa e a borda das páginas é preta, não era para esperar menos da Editora Darkside que sempre publica livros lindíssimos. Comprei o livro num passeio à uma livraria, então não sabia nada sobre ele, a não ser pela sinopse que me chamou a atenção. Estava super ansiosa para ler o livro, porém, minha decepção foi enorme. Antes de falar mais sobre alguns pontos do livro, confira a sinopse:

“No premiado romance de Evie Wyld, a fazendeira Jake White leva uma vida simples numa ilha inglesa. Suas únicas companhias são rochedos, a chuva incessante, suas ovelhas e um cachorro, que atende pelo nome de Cão. Tendo escolhido a solidão por vontade própria, Jake precisa lidar com acontecimentos recentes que põem em dúvida o quanto ela realmente está sozinha – e o quanto estará segura. De tempos em tempos, uma de suas ovelhas aparece morta, o que pode ser muito bem obra das raposas que habitam a floresta próxima à sua fazenda. Ou de algo pior. Um menino perdido, um homem estranho, rumores sobre uma fera e fantasmas do seu próprio passado atormentam a vida de uma mulher que sonha com a redenção. Fonte: Saraiva

Primeiro Ponto:

Onde cantam os pássaros foi um dos livros que mais demorei ler. Isso porque ele é extremamente confuso e a leitura não é agradável, o que acaba deixando você um pouco entendiado. Demorei a descobrir que em um capítulo era o presente da personagem e o outro era o passado, só que na ordem inversa! Ou seja, ia regredindo, e o que é pior, não tinha nada informando no início dos capítulos, você tem que meio descobrir por você mesma.

Segundo Ponto:

O livro ter uma linguagem bem adulta, com muitos palavrões. Nada contra ter palavrões nos livros, mas esse tem em excesso, o que é até meio cansativo.

Terceiro Ponto:

Fiquei tentando entender quando ia começar a aparecer algo de terror no livro, porém é outra coisa que a autora nos engana muito bem. Conseguimos ver o quanto é complexa a trama aqui. Na verdade não tem nada de terror no livro, o enredo explora a situação psicológica de Jake e o fato que ela sofre de depressão.

Tirando esses dois primeiros pontos que considero negativos, Onde Cantam os Pássaros traz uma leitura interessante que faz você pensar e ler o livro com atenção. Honestamente se eu tivesse lido resenhas antes, acredito que não teria comprado o livro, mas essa é apenas minha opinião pessoal.

E aí, vocês já tinham ouvido falar de Onde Cantam os Pássaros? Gostam de livros com dramas psicológicos? Deixem nos comentários!