Harry Potter e a criança amaldiçoada

A oitava história. Dezenove anos depois…

Lembro de quando li as últimas páginas do sétimo livro do Harry Potter a muitos anos atrás. Acabou com Harry levando seu filho Alvo para pegar o trem para Hogwarts. Ficou um gostinho de quero mais. Quando começou a sair notícia que ia sair uma oitava história, contando fatos ocorridos 19 anos depois, como toda boa fã da série de livros, soube que tinha que comprar. Porém diferente dos demais livros, que foram lidos em questão de dias, eu demorei quase um mês para ler Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. Li outros livros e fui deixando ele de lado. O motivo é que sinto uma completa aversão por livros escritos como roteiro de peça teatral. Não consigo gostar. Lembro que deixei muitos livros do Shakespeare de lado por ser nesse estilo. Antes de dar minha opinião sobre a história, confira abaixo a sinopse do livro.

“Sempre foi difícil ser Harry Potter, e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.”

Como podemos ver pela sinopse, a história é centrada no filho de Harry, Alvo Severo Potter, o garoto que levou o nome de dois grandes diretores de Hogwarts. Foi legal ler uma sequência da história dos três amigos Harry, Rony e Hermione, embora, como já dito, eles não sejam totalmente o foco da história. Por ser uma edição especial de roteiro de peça teatral, a história é contada focando apenas em diálogos, o que me deixou um pouco com o pé atrás, pois gosto de ler livros que sejam enriquecidos em detalhes, pois conseguimos formar imagens praticamente completas na nossa mente. Mas era de se esperar, afinal é uma peça de teatro.

Começamos o livro com Harry levando Alvo para pegar o trem para Hogwarts pela primeira vez. Todos esperam encontrar super garoto badass que leva o nome da família e tudo mais. Porém, aos olhos das pessoas, Alvo é praticamente um perdedor. Logo nas primeiras páginas, os anos passam rapidamente, e vemos Alvo se tornando um garoto recluso, sem nenhum destaque na escola, tendo apenas um único amigo, Escórpio, que acreditem ou não, é filho de Draco Malfoy, o grande inimigo de Harry nos tempos de escola.

Dessa parte eu gostei muito, pois apesar das diferenças dos pais, os meninos pouco se importam com os comentários sobre eles e se tornam grandes amigos, formando um forte laço de amizade, o que torna Alvo bem parecido com Harry nesse sentido, considerando que ambos valorizam muito a amizade.

Com a intenção de provar algo a seu pai, Alvo acaba roubando um Vira Tempo e juntamente com Escórpio, resolve voltar no tempo e salvar a vida de Cedrico Diggory durante o Torneio Tribuxo. A partir disso, uma série de complicações ocorrem, que só lendo o livro para saber.

Minhas considerações sobre os personagens de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada não são muito favoráveis. Para minha surpresa, gostei mais do filho do Draco Malfoy do que do filho de Harry. Alvo, ao meu ver, é um garoto egoísta que vê tudo a sua volta de forma negativa e culpa Harry pelos seus problemas. Já Escórpio, filho de Draco, apesar do legado nada bom da família, é um garoto amigável e que aguenta Alvo e seus problemas, sem reclamar. Sobre Harry, Rony e Hermione, os personagens não foram muito explorados na fase adulta. Não sei se é por isso inclusive, mas apesar de ser a oitava história do mundo Harry Potter, não senti aquela conexão com a história original, não me senti envolvida com os personagens e para mim pareceu apenas mais um livro. Se você é fã de Harry Potter, claro que vale a pena conferir Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. Pois apesar de tudo é uma história de Harry Potter.

E aí, já leu Harry Potter e a criança amaldiçoada? O que achou? Deixe nos comentários!

Seguir

22 comentários em “Harry Potter e a criança amaldiçoada

  1. OOOOOI

    eu tenho visto mais resenhas negativas do que positivas acerca desse livro, fico até com medinho de ler e também não curtir 🙁
    outra coisa que também observo é a preferência pelo filho do Draco ao invés do filho do Harry, além de já terem comentado comigo que a personalidade do filho do Harry é totalmente distante da do pai.
    mesmo assim, ainda quero ter essa experiência 😀

    beijo
    beinghellz.com

  2. Oi, Lilian!

    Acho que também não iria gostar de ler um livro nesse formato (roteiro de teatro)…
    Mas gostei de saber mais sobre a continuação da história, não sabia dos detalhes sobre este livro…

    Abraços, Cris

  3. Eu coloquei a coleção de HP para ser uma das minhas metas de leituras desse ano. Eu acho que estou super atrasada em questão de leituras, eu deveria ter lido muito tempo atras. Mas antes tarde do que nunca, né? hahaha Espero gostar, e espero muito conseguir cumprir. Por enquanto não tenho como debater sobre sua opinião desse livro. Mas logo volto aqui e comento de novo! hahahaha ps. teu layout ta lindo! <3

  4. Confesso que sou tão perdida, que eu nem sabia que o oitavo livro tinha saído. Mas fiquei bem entusiasmada. Gostei bastante do enredo, mas também achei chato o fato do filho do HP ser egoísta e talz. Mas acho que é pra mostrar que com tudo que vai acontecer eles vão se aproximar. Algo assim.

    Fiquei super animada para ler o livro.

    Beijoos, Love is Colorful

  5. Eu acho que esse livro deixou a desejar pra todo mundo porque não se trata de uma história escrita pela J.K e sim, uma adaptação de uma peça de teatro inspirada no universo de Harry potter né? Se não me engano, porque eu apesar de fã não quis ler o livro justamente por conta disso, acho que achei essa informação no google. E se não foi ela que escreveu eu não tomo como uma história na linha do tempo de HP.

    http://www.leitecombiscoitos.com/

    1. Ela não escreveu, mas participou dos argumentos. Claro que não dá para comparar a escrita dela, inclusive no livro Harry diz coisas que jamais diria em histórias escrita por J.K Rowling. Mas eu considero como uma história da linha do tempo de HP sim.

      Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.