5 Dicas para montar seu checklist de viagem

Que atire a primeira pedra quem já foi viajar e levou mais do que deveria e acabou esquecendo coisas importantes. Já aconteceu comigo, por isso hoje em dia sempre procuro fazer uma lista de tudo que preciso levar, ou seja, um checklist de viagem. É útil para não esquecer itens importantes e para não colocar na mala coisas que você nem chega a usar.

Sendo assim, hoje vou compartilhar com vocês, dicas que aprendi ao longo do tempo. Para quem ama viajar assim como eu, seja uma viagem de carro, ou uma viagem mais longa de avião, é muito útil ter um checklist de viagem pronto antes de colocar qualquer coisa dentro da mala.

1 – Como você vai fazer seu checklist

Hoje em dia, há inúmeras formas de fazer o seu checklist. Temos aplicativos para celular, planilha no excel ou o bom e velhor papel. Costumo usar tanto uma planilha, quanto um papel.

2 – Checklist Pré Viagem

Como qualquer planejamento de viagem, é bom montar um checklist pré viagem. Nesse checklist você vai marcar coisas importantes como, verificar se o passaporte não venceu, se os seus documentos estão em dia. Se precisa tomar alguma vacina, caso vá viajar para outro país ou até mesmo outro estado, e assim por diante.

3 – Checklist para a mala

Depois de todo o planejamento e você estando pronta para viajar, é hora de começar a fazer o checklist do que você vai levar na viagem. Quantas malas vai levar, se vai levar mala de mão, mochila, etc.

4 – Categorize seu checklist

É muito útil criar categorias como: Roupas, Eletrônicos, Higiene. Fica mais fácil na hora de colocar os itens na mala.

5 – Defina os itens de cada categoria

Uma vez definido as categorias, é hora de listar os itens de cada uma. Como por exemplo:
Eletrônicos:
Itens: Cabo do notebook, Cabo do Celular

Olha um exemplo bem simples:

E aí, quem está pronto para montar o checklist de viagem? Tem alguma outra dica? Deixe nos comentários!

Um dia em Punta Del Este no Uruguai

Nos dias que passei em Montevidéu no Uruguai, aproveitei e tirei um dia para conhecer Punta Del Este, uma cidade de praia que fica a duas horas de Montevidéu.

Peguei um excursão em Montevidéu no valor em torno de R$150 reais e valeu muito a pena. A guia falava português e deu para interagir com vários estrangeiros no ônibus. Fiz amizade com uma Venezuelana e foi bem legal!

A cidade de Punta Del Este é um balneário, a cidade é linda, com verdadeiras mansões e prédios muito bonitos. O custo de vida lá é bem caro. Mas para nós, meros mortais é possível encontrar hotéis razoavelmente baratos, também tem hostel e até acampamento para quem quer se aventurar mais.

Minha viagem foi de ida e volta no mesmo. Em Puntal Del Este deu para conhecer o Porto, a Casa Pueblo e ainda pudemos fazer um City Tour pelos bairros.

Se você tem interesse em viajar para Montevidéu, sugiro que separe um dia para conhecer Punta Del Este. Sinceramente esse passeio foi o melhor da minha viagem!

E assim termina os posts relacionados a minha viagem, espero que tenham gostado! E aí, já tinha ouvido falar de Punta Del Este? Deixe nos comentários!

Montevidéu: Passeios que valem a pena conhecer #3

Hoje vou compartilhar os passeios que mais gostei de fazer em Montevidéu. No último post sobre a cidade comentei sobre o Centro da cidade e alguns lugares para conhecer, também comentei porque não gostei muito.

Montevidéu é uma cidade pequena, mas mesmo assim para fazer um passeio que se localiza longe do centro é preciso caminhar muito, mas muito mesmo ou utilizar o ônibus, uma vez que a cidade não possui metrô.

Eu cheguei a caminhar mais de 5km, a ponto de não conseguir mexer a minha perna no fim do dia. O que eu fiz um dia para ir num passeio mais distante, foi ir de Uber até o local e depois voltar a pé, foi bem cansativo, mas valeu a pena. Abaixo, descrevo os locais que mais gostei de conhecer em Montevidéu:

Palácio Legislativo

É uma das construções mais lindas da cidade. Levou em torno de 17 anos para ser construído e hoje é possível fazer visitas guiadas e em português. Não tive a oportunidade de conhecer por dentro, mas dizem que é lindíssimo, com uma linda e rica arquitetura.

Parque do Prado

É um parque bem bacana, não é muito turístico, seria mais um parque para as pessoas locais irem se descontrair. Achei bonito, mas não me entenda mal, temos vários parque parecidos aqui na minha cidade. Mas mesmo assim, valeu a pena conhecer. O Parque do Prado é uma área bem grande que abriga o Jardim Botânico e o Rosedal. Só conheci a parte do Rosedal, que foi um pouco decepcionante, pois, como estamos no inverno, tinha praticamente 0 flores no parque. Mas dizem que na primavera fica lindíssimo.

Ramblas – Letreiro e Porto

Esse com certeza foi meu local favorito de se conhecer. As ramblas são locais para se caminhar a beira do Rio de la Plata, são separadas por nome de acordo com o bairro, não lembro de todas. As de Punta Carretas e Pocitos foram as que mais gostei. Na rambla de Pocitos fica o letreiro de Montevidéu, lugar bem bacana para tirar foto e também o porto, que eu adorei conhecer. Acho bem legal, além de ser super fotogênico.

Para concluir, esses foram os locais que mais gostei de conhecer. Falando um pouco sobre a comida local e mercado. Achei tudo muito caro, uma Ceaser Salad que comi um dia, ficou em R$50 reais e no supermercado era tudo bem caro também, uma garrafa de gatorade por exemplo, custava quase 8 reais. Uma caixa de bombom da Nestlé, custava mais de R$15 reais. Dizem que a carne é muito famosa por lá, mas como não como carne, não experimentei nenhum prato para ver se era bom mesmo. Quando eu viajo, não costumo ligar muito para a gastronomia local, pois sou o tipo de pessoa que come o básico e não gosto de me aventurar em pratos diferentes, fora que prefiro economizar nisso e aproveitar outros passeios, e investir em comidas do mercado mesmo.

E aí, se interessou por algum desses passeios em Montevidéu? Deixem nos comentários!

 

 

Montevidéu – Centro e lugares gratuitos para conhecer #2

Montevidéu, não é uma cidade muito grande. Dois dias inteiros é mais do que suficiente para conhecer a cidade inteira sossegadamente. Um dia você pode conhecer os lugares que são mais distantes do centro e um outro dia você pode conhecer o Centro e a Ciudad Vieja.

Observatório (Mirador)

Dá para fazer tudo a pé, aqui vamos conhecer toda a parte histórica de Montevidéu e ainda poderemos ver prédios antigos que são legais de tirar foto.

Iniciei meu passeio na famosa avenida 18 de Julho. Percorrendo ela, a pé mesmo, você vai conhecer os principais pontos turísticos e museus. Para ter uma visão legal da cidade, subi no prédio da prefeitura, numa espécia de observatório. Eles chamam de mirador. Lá é possível ver todos os lados da cidade. O mais interessante é que é gratuito \o/.

Fonte dos Cadeados

Também no centro da cidade, passei por uma fonte de cadeados bem legal, a lá Paris, onde pessoas apaixonadas colocam um cadeado e juram amor eterno, sou bem cética quanta à essas coisas.

Mercado de los Artesanos

É um mercado bem legal, onde é possível comprar lembrancinhas, é possível encontrar preços bem em conta e preços um pouco mais salgados. Comprei um kit de sabonete artesanal para minha mãe por apenas R$10 reais.

Palácio Salvo

É uma construção antiga muito bonita, que fica numa praça chamada Plaza Independencia. Na praça, além do Palácio, encontramos um portal que dá entrada a chamada Cidade Velha, que é apenas um fragmento do que sobrou de antigamente. Há muitos e muitos anos, a Cidade Velha era fechada por muralhas, que representavam o domínio militar, político e econômico do Império Espanhol. Depois da Independência do Uruguai, as muralhas foram demolidas.

Portal da Cidadela

Como eu disse lá no início, se continuar descendo a avenida 18 de julho, vamos chegar a Plaza Independencia. Na Plaza, podemos cruzar o Portal da Cidadela e continuar nosso caminho. Nesse percurso há alguns museus, que não tive a oportunidade de conhecer como Museo de la Casa de Gobierno, cuja entrada é gratuita e Museu Torres Garcia.

Continuando o caminho pelo Portal da Cidadela, chegaremos a Plaza Contitución, onde tem a Catedral de Montevidéu e uma feira. Como cheguei muito cedo por lá, a feira não tinha iniciado ainda.

Minhas Impressões

Gostei da facilidade para conhecer os pontos turísticos que tem no Centro de Montevidéu, devido ser possível fazer tudo a pé e ter vários lugares gratuitos e uns museus bem legais. Particularmente não curti muito, primeiro me senti bastante insegura andando sozinha por lá, principalmente na altura da Cidade Velha. Talvez fosse apenas paranoia minha, mas eu jurava que tinha um garoto me seguindo.

Segundo, apesar de ser possível admirar os prédios antigos, como o Palácio Salvo e o Teatro Solis, achei o lugar um pouco feio, principalmente as ruas paralelas à avenida principal ou após passar pelo Portal da Cidadela.

Uma coisa legal, foi a feira na Plaza Contitución. Quando passei por lá, estavam colocando as barracas ainda, mas acredito que seja um lugar bacana para encontrar artesanato local. Meus lugares favoritos desse dia, foi o observatório (ou mirador) da prefeitura e o prédio do Palácio Salvo.

PS: Tirei as fotos com o celular, pois fiquei com medo de usar minha câmera no centro, então a qualidade não está tão boa!

É isso, vocês curtem lugares assim? Deixem nos comentários!

 

Montevidéu – Chegada e Primeiras Impressões #1

Semana passada fui visitar uma amiga que mora em Montevidéu e aproveitei para conhecer a cidade de Montevidéu e Punta Del Este. Vou compartilhar minhas experiências e dicas por aqui. Para o post não ficar grande e cansativo de ler, vou dividir em uma série de posts. Hoje vou falar da minha chegada e primeiras impressões.

Imigração

Peguei um voo de Guarulhos a Montevidéu numa sexta a noite, o voo levou apenas 2 horas e 20 minutos para chegar no Uruguai. Para passar na imigração é muito simples, principalmente se você estiver com o passaporte.
Eles leem todas as suas informações ao colocar o passaporte numa máquina de leitura, que também confirma através do seu rosto (como numa foto) se você é você mesmo haha.
A pessoa na imigração também pode pedir para você confirmar seus dados através da digital. Em menos de 2 minutos já estava saindo da imigração.

Aeroporto

O Aeroporto Internacional de Carrasco é bem pequeno mesmo, possui um design futurista e é bonito. Só tem uma saída, então após pegar a bagagem, não tem erro para sair do aeroporto.

Chegando em Montevidéu

Como o aeroporto fica há uns 20km da cidade, precisamos fazer uma pequena viagem de carro que durou em torno de 40 minutos até o centro da cidade.

Quando chegamos pela cidade, passamos por uma avenida que tem o Rio De La Plata à esquerda, que parece uma praia e perdemos de vista a extensão, e do lado direito, passamos pelos bairros mais bonitos da cidade, sendo eles, Carrasco e Pocitos.

Tive a oportunidade de circular pelos bairros nos outros dias e realmente é muito bonito, tendo até um hotel com Cassino, tipo Las Vegas haha. Continuando pela avenida, chegamos no centro da cidade, que é onde fiquei hospedada na casa da minha amiga. Particularmente não gostei do centro, detalharei mais nos próximos posts. Fiquem ligados!

Para concluir, o que posso dizer sobre as primeiras impressões que tive ao chegar, é que Montevidéu é uma cidade muito pequena, o Uruguai em si é muito pequeno, possuindo uma população total de 3,4 milhões de pessoas.

Montevidéu, assim como toda cidade é dividido em bairros mais pobres e bairros mais ricos, além de possuir um lado da cidade que tem prédios mais antigos e prédios novos e modernos.

Eu sempre fui muito fã de construções antigas, um dos motivos pelo qual me apaixonei por Londres, mas particularmente não gostei dos prédios de Montevidéu, achei meio sujo e me senti bastante insegura andando pelo centro sozinha. Como vocês podem ver pela foto acima, é tudo muito cinza.

E aí, vocês tem vontade de conhecer Montevidéu? Deixem nos comentários!

3 Cidades mais frias do Brasil para visitar

Nosso país é tropical e dificilmente fará tanto frio quanto os países do Norte. Porém, algumas cidades brasileiras se destacam por fazer bem mais frio do que estamos acostumados. Então hoje vamos falar de 3 cidades mais frias do Brasil. São cidades que já visitei, por isso o post é focado mais nessas cidades, sei que no Sul também tem cidades frias, inclusive já visitei Gramado e Canela, que também faz muito frio. Vamos dar uma olhada?

1 – Campos do Jordão – SP

Já faz alguns anos que visitei a cidade. Lembro que não fui no pico do inverno, mas já estava bem frio. A cidade é conhecida por atingir até temperaturas negativas. As pessoas costumam dizer que vira uma “Suíça Brasileira”. A cidade é turística especialmente por causa do frio. Fora a arquitetura que é bem linda. Além das atrações das cidades, podemos nos deliciar tomando um chocolate quente e comendo um bom fondue.

2 – Monte Verde – MG

Monte Verde fica relativamente perto de São Paulo. É uma cidade mineira que possui muitos chalés espalhados nas montanhas, especialmente para curtir o frio. É uma cidade bem romântica, caso você esteja procurando um passeio a dois.

3 – Foz do Iguaçu – PR

Foz do Iguaçu é simplesmente linda, as pessoas vão para conhecer as Cataratas do Iguaçu, mas a cidade também se destaca por ser muito frio.

E aí, o que acharam dessas 3 cidades mais frias do Brasil? Já conheceu alguma que se destaca por esse motivo? Deixem nos comentários!

Conhecendo a pequena cidade de Guararema

Esses tempos atrás estava procurando uma cidade para conhecer que fosse perto de São Paulo e desse para ir e voltar no mesmo dia. Me deparei com a cidade de Guararema, que fica apenas à 80km da cidade de São Paulo, o que também é perto de Sorocaba, onde moro.

Guararema é uma cidade pacata e bonita, que possui passeios legais, uma vez que a cidade possui alguns parques lindos e floridos, além de ter um delicioso passeio de trem, que dura 2 horas. Além dos passeios, a cidade possui algumas construções do século 18 que são preservados e vale a pena a visita.

Visitei um parque, o Ilha Bela e conheci algumas construções antigas, além de visitar a estação de trem e andar no trilho. Não fiz o passeio de trem, pois ia terminar muito tarde e iríamos acabar pegando o trânsito de São Paulo.

Sem dúvida, o que mais gostei foi o trem. Eu amo trens. Além da possibilidade de fazer o passeio, o turista ainda pode conhecer um pequeno museu que fica na estação e é gratuito.

Bom, a cidade é bonita e agradável, além de ser bem fotogênica. Para mim é uma cidade para conhecer, pois é bem pequena. Para morar seria difícil.

E aí, vocês já tinham ouvido falar de Guararema? Deixem nos comentários!

3 Lugares históricos para conhecer no Brasil

Não é segredo que amo viajar, sendo assim, hoje separei 3 lugares históricos para conhecer no Brasil. Sei que no Brasil tem muita praia bonita, mas confesso que gosto de conhecer lugares que tem alguma história para contar. Então, no post de hoje, vamos focar mais nesses tipos de lugares.

Ouro Preto – Minas Gerais

Ouro Preto fica em Minas Gerais e a cidade é conhecida pelo estilo colonial. Podemos encontrar igrejas e museus no estilo barroco. Deve ser incrível poder viajar no tempo e conhecer um pouco mais de histórico.

Alcântara – Maranhão

Alcântara fica na região de São Luís do Maranhão. E é outra cidade na qual podemos viajar no tempo, já que o lugar abrange mais de 300 construções coloniais, como igrejas e palácios. Deve ser muito incrível não?

Tiradentes – Minas Gerais

Tiradentes, uma linda cidade histórica que possui ruas coloniais e igrejas do século 18. Também podemos encontrar casarões, pousadas e muito artesanato. Além de charretes que nos permite circular e conhecer a cidade. Outro lugar que vale a pena conhecer em nosso Brasil.

E aí, o que acharam desses 3 lugares históricos para conhecer no Brasil? Conhecem alguma dessas cidades? Qual outra indicação de lugar vocês dariam? Deixem nos comentários!

Lugares legais para conhecer em Curitiba

Semana passada visitei Curitiba, eu já tinha turistado pela cidade alguns anos atrás, mas honestamente não lembrava com detalhes de todos os locais e alguns eu ainda não conhecia. Elaborei um roteiro bem bacana para aproveitar bem o tempo e não deixar de visitar nenhum local. Sendo assim, hoje compartilho com vocês alguns lugares legais para conhecer em Curitiba.

A chegada

Fui de avião até Curitiba, não levou nem 1 hora de São Paulo até lá. Em seguida, peguei um uber até o hotel. No aeroporto tem outras opções legais e mais em conta, como o Ônibus Executivo do Aeroporto, que custa em torno de R$15,00 ou você também pode pegar um ônibus normal de linha, que custa em torno de R$5,00.

O Hotel

Reservei o hotel Trevi, que fica bem no centro, numa rua paralela à Biblioteca Pública.

Passeios

Em Curitiba, há uma forma bem legal de visitar os pontos turísticos, através de um ônibus específico para isso, o chamado Linha Turismo. O ônibus custa R$45,00 e você recebe 5 tickets, um deles você já gasta para subir no ônibus. E você fica com 4 tickets, tendo a possibilidade de visitar mais 4 pontos turísticos. O ponto de partida do ônibus é a Praça Tiradentes, que ficava a duas quadras do hotel, mas você pode subir em qualquer um dos pontos que ele para.

Eu escolhi os pontos mais distantes da onde eu estava hospedada. Fui no Jardim Botânico, Bosque do Alemão, Parque Tanguá e Memorial Ucraniano. Esse roteiro, eu fiz com o ônibus e outro dia, a pé mesmo, visitei o Museu Oscar Niemeyer e o Bosque do Papa, que fica do lado do museu. Ambos lugares ficavam à uma distância de 40 minutos do hotel, ou seja, do centro da cidade.

Jardim Botânico

Fica numa área bem grande, você tem que reservar um tempo bom, pois vai ter que caminhar muito. Além de grande é um lugar lindo e muito fotogênico.

Bosque do Alemão

Eu ainda não conhecia e amei. Eu adoro essa pegada de floresta e trilha. E no bosque temos uma trilha onde conforme você vai caminhando, há painéis contando a história de João e Maria. Além de ter a casa da Bruxa, que é uma biblioteca. O local faz bastante sucesso entre as crianças. Eu gostei pois tem bastante verde e é uma mata bem fechada, você se sente literalmente no meio da floresta.

Eu ainda não conhecia e amei. Eu adoro essa pegada de floresta e trilha. E no bosque temos uma trilha onde conforme você vai caminhando, há painéis contando a história de João e Maria. Além de ter a casa da Bruxa, que é uma biblioteca. O local faz bastante sucesso entre as crianças. Eu gostei pois tem bastante verde e é uma mata bem fechada, você se sente literalmente no meio da floresta.

Parque Tanguá

Não é um local tão impressionante, não tem muito o que fazer. Em 30 minutos dá para ver tudo. A vista é bem bacana.

Memorial Ucraniano

Fica dentro do Parque Tingui. No local encontramos uma réplica da antiga capela de São Miguel, da Serra do Tigre. É um local bonito e agradável. Dá para tirar fotos muito lindas.

Museu Oscar Niemeyer

Confesso que não sou fã de museus, mas quis visitar novamente (já tinha ido na outra viagem), só pela estrutura que é incrível. A entrada do museu é R$16,00. Achei um preço justo, pois o museu é bem grandinho. Encontramos artes bem modernas e diferentonas eu diria. Tipo um sofá feito de papel de papelão.

Bosque do Papa

Fica praticamente ao lado do museu e eu curti muito. Tem uma trilha, que me bateu até um medo, pois ela é bem fechada e não tem placas, mas nem é tão grande e logo você acaba chegando no memorial de imigração polonesa, que consiste em sete casas feitas de tronco, que são lindíssimas. A casa principal foi construída em 1883, muito massa.

Esses foram todos os locais que eu visitei. Além disso, conheci o centro, indo na Rua 24 horas e na Rua das Flores. Como eu não ligo tanto para gastronomia, não posso indicar nenhum lugar legal para ir, mas sei que tem cafés lindos e fofos por lá, inclusive, cafés veganos, que eu queria muito conhecer, mas não tive a oportunidade.

Enfim, gostei muito da viagem. Como planejei tudo com antecedência, deu tudo certo e consegui ir em todos os lugares legais que eu queria visitar.

E aí, gostaram das dicas de lugares legais para conhecer em Curitiba? Já conhecem a cidade? Deixem nos comentários!

6 dicas para planejar uma viagem sozinha

Viajar é algo bom que todo mundo gosta. Mas a parte mais difícil é planejá-la. São muitos detalhes que você precisa prestar atenção, para não chegar o dia da viagem e você estar completamente despreparado.

Já fiz muitas viagens, mas até essa minha viagem que vou fazer agora em Maio, nunca tinha planejado uma viagem inteira sozinha. E embora eu seja a louca do planejamento e organização, foi um desafio e tanto! Vou compartilhar então 6 dicas para planejar uma viagem sozinha, compartilhando com vocês minhas próprias experiências.

1 – Dinheiro da Viagem

Dinheiro é a primeira coisa que você tem que planejar. Quanto está disposto a gastar na viagem. Como sempre gostei muito de viajar, todo ano eu separo uma quantia x para esse fim. Seja para viagens mais pequenas e econômicas, ou viagens que sei que vou gastar um pouco mais. Para você não passar nenhum aperto financeiro, você tem que estar preparado e ter um orçamento para esse fim. Eu por exemplo, tiro duas férias por ano. Eu me planejo para fazer viagens maiores nesses dois períodos. E sempre tem aquela viagem de fim de semana no meio desses períodos, que também precisa estar no seu orçamento.

Lembrando que precisamos pensar em todos os gastos, seja no valor da passagem/carro, hospedagem, alimentação, passeios até as compras.

2 – Para onde vai viajar

Muito bem, digamos que você passou um determinado tempo guardando dinheiro, ou sabe que em 5 meses você vai ter uma quantia x para viajar. Chegou a hora de decidir para onde você vai. Você vai viajar de carro? De Avião? Para o Brasil ou Exterior? O dinheiro que você tem é o suficiente para viajar sem passar perrengue?

É muito interessante pesquisar por lugares para conhecer onde sejam mais baratos. Por exemplo, encontramos passagem para viajar pela América do Sul que muitas vezes saí mais barato ou o mesmo valor que viajar pelo próprio Brasil. Tudo depende da onde você quer ir e do que gosta.

3 – Quantos Dias

Quantos dias você pretende ficar no local? Se for investir numa passagem de avião, que tal fazer valer a pena o valor da passagem e ficar uns dias a mais? Levando em consideração o preço da hospedagem e os demais gastos, é claro.

4 – Época da Viagem

É interessante pensar na época da viagem. É ótimo viajar fora da temporada, os preços caem muito. Por exemplo, comprar passagens de avião entre Junho/Julho e Dezembro/Janeiro é meio que fora de cogitação, os preços dobram e ficam um absurdo. Mesmo nas viagens menores, como, praia em Janeiro, os preços sobem muito.

Você precisa pensar na época da viagem e em como vai estar o clima. Ninguém merece viajar para o Canadá por exemplo, no inverno. Vai estar frio e nevando e você vai acabar não curtindo a viagem. Ou viajar para a praia aqui no Brasil no inverno. Você não aproveita tanto quanto deveria.

5 – Economizando na hospedagem

Hospedagem é algo muito relativo. Tem gente que se sente muito bem num albergue/hostel, outras nem tanto. Eu particularmente sou a pessoa que não me encaixo num albergue/hostel, pois preciso ter meu próprio espaço para dormir. Então eu sempre escolho pagar um pouco mais na hospedagem. Lembrando que você vai passar fora o dia todo, então não precisa ser algo extremamente luxuoso se você vai apenas para dormir.

6 – Economizando nos passeios e alimentação

Dá para economizar um bom dinheiro nesses dois itens. Por exemplo, eu sempre dou preferência de ficar em airbnb ou hotel que disponham de uma cozinha, pois eu mesma posso fazer boa parte das minhas refeições e assim economizar dinheiro em restaurantes.

Em questão de passeios, muitas atrações são gratuitas em determinados dias da semana. Por exemplo, museus normalmente são gratuitos aos Domingos. É interessante pesquisar sobre o assunto e economizar uma grana aí e quem sabe investir em outros passeios que você queira muito fazer, mas é pago.

Essas são 6 dicas para planejar uma viagem sozinha. Não dá para planejar da noite para o dia, exige um pouco de tempo para pesquisar sobre lugares mais em conta, como é a economia local, se compensa viajar para tal lugar. Pois as vezes encontramos uma passagem super em conta, mas o custo de vida local é bem caro, bem como a hospedagem.

E aí, o que acharam dessas 6 dicas para planejar uma viagem sozinha? Deixem nos comentários suas experiências!